O método utilizado pelo Dr. Lucas para avaliar e tratar, foi desenvolvido por ele, onde agrega todo o conhecimento que ele adquiriu neste anos junto com os constantes estudos! Dentro do tratamento, ele utiliza como base toda a filosofia da Osteopatia.


A Osteopatia acredita que a doença é desencadeada pelo mal funcionamento e desequilíbrio do organismo. Pensando nisso o objetivo do osteopata é restabelecer o equilíbrio global e seu funcionamento correto do corpo.

No tratamento são usadas técnicas manuais diretamente na região que necessitam de reequilíbrio respeitando sempre o processo natural do organismo. Um corpo desequilibrado pode apresentar disfunções em qualquer parte do corpo como, músculos, articulações, nervos, tecido conjuntivo, sistema circulatório, órgãos internos, ossos cranianos, meninges, vasos sanguíneos e linfáticos, etc.

O osteopata atua como facilitador para que o organismo encontre o equilíbrio o mais rápido possível ficando livre das dores. Para alcançar esse objetivo usamos como base 4 leis da Osteopatia.

1 - A estrutura governa a função


O corpo humano é uma unidade integrada na qual estrutura e função são recíprocas e ao mesmo tempo interdependentes. Isto significa que qualquer modificação na estrutura alterará algum aspecto da função e inversamente, qualquer alteração na função resultará em mudanças estruturais. Entendemos como estrutura, todo tecido orgânico que constitui o corpo humano (músculos, ossos, ligamentos, vasos, articulações, vísceras,). Quando esses tecidos apresentam alguma forma de disfunção, seja ela mecânica ou fisiológica esta será responsável por danos estruturais que vão se instalar no organismo imediatamente ou ao decorrer do tempo, dependendo da natureza desta disfunção.

2- Unidade do corpo


O corpo é único e indivisível e todas as suas partes se relacionam entre si e se entrecruzam o tempo todo, ou seja, Qualquer alteração no corpo, resultara em uma adaptação que pode gerar dor em outra região.

3- Lei da auto-cura


A osteopatia reconhece que dentro do corpo existe uma tendência constante em direção à saúde. Através de mecanismos complexos, o corpo humano busca se auto regular ou auto-curar quando é atacado por algum processo patológico. Ele está sempre em busca do equilíbrio. Cabe ao osteopata interpretar essa linguagem corporal e reconhecer o caminho que o organismo está tomando para se auto-curar. Nesse momento, deverá interferir para ajudar o corpo a retomar o caminho certo.

4- Lei da artéria de Still


Para que tenhamos uma estrutura saudável e funcional, necessitamos que estas estruturas recebam um bom aporte sanguíneo resultando em uma nutrição e oxigenação corretas facilitando a recuperação do tecido.

História da osteopatia


Criada nos Estados Unidos pelo médico americano Andrew Taylor Still. Still tornou-se médico muito jovem. Tornou-se cirurgião e trabalhou na guerra de Secessão. É nesse período que ele se questiona sobre a sua impotência para aliviar os feridos de guerra. Após a guerra resolveu estudar profundamente Anatomia e Fisiologia para entender melhor o funcionamento do corpo humano.

Em 1864, uma epidemia de Meningite matou vários de seus pacientes e três dos seus filhos. Em 22 de Julho de 1864 curou uma criança que estava com disenteria. Ele observou que a região lombar estava quente e o abdómen estava frio; o pescoço e a parte de trás da cabeça estavam quentes e o rosto, testa e nariz, frios. Compreendeu que havia contraturas na coluna e que estavam relacionadas com o mal funcionamento dos intestinos. Tratou então a coluna da criança e no dia seguinte a mãe anunciou-lhe que o seu filho estava curado. Esta era a primeira vez que colocava em prática suas observações.

Daí surgiu a osteopatia e em 1892, Still funda The American School of Osteopaty em Kirksville, escola que existe até hoje.

Indicações:


São Inúmeras as indicações da osteopatia, sendo indicado tanto para recém nascidos a idosos. Pode ser realizada conjunto a outros tratamentos. A OMS (Organização Mundial da Saúde) reconhece e recomenda a osteopatia.

Dentre as indicações podemos citar:



Alterações da coluna vertebral como:

as protusões e hérnias discais, ciáticas, torcicolos, lombalgias agudas ou crônicas, vertigens, neuralgias cervicobraquiais; atuando também nas inflamações e dores dos membros como tendinites (LER/DORT), dor miofascial, bursites; problemas articulares gerais como entorses e traumas, e em todas as patologias que possuem caráter músculo-esquelético.

Alterações cranianas como:

  • Cefaleias e enxaquecas;
  • Distúrbios visuais e auditivos;
  • Disfunções da articulação têmporo-mandibular (ATM);
  • Distúrbios de deglutição;
  • Alterações vestibulares;
  • Alergias;
  • Rinites e sinusites.

    Alterações Viscerais:

  • Hérnia de hiato;
  • Asma brônquica;
  • Pneumonia;
  • Constipação intestinal e refluxo (inclusive em bebês);
  • Alterações do ciclo menstrual;
  • Síndrome pré-menstrual;


  • ×